Castanhas, amendoins e amêndoas: o poder das oleaginosas em sua dieta!

“Se você não tem o hábito de incluí-los em sua dieta, pare agora! Você não sabe o que está perdendo!”

Eles fazem parte do grupo das frutas oleaginosas, que além de muitos nutrientes, são poderosas armas na hora de emagrecer! Isto porque estudos mostram que estas preciosidades são ricas em gorduras monoinsaturadas, que regulam o nível de açúcar no sangue, mantendo-o estável, e ainda, ativam o metabolismo da queima de gordura.

Ricas em nutrientes, as castanhas são fontes naturais de fibras, proteínas, cálcio, ferro, potássio, zinco, selênio, vitamina E, ácido fólico e outros nutrientes essenciais para nosso organismo.

As castanhas do Pará, por exemplo, são famosas pelas suas quantidades de selênio, mineral essencial para equilibrar a tireoide e fortalecer o sistema imunológico contra a ação de radicais livres – aqueles reesposáveis pelo envelhecimento. E para ter ideia, o consumo de uma castanha do Pará por dia já é suficiente para suprir todas as necessidades diárias do organismo por selênio.

As castanhas de caju também não ficam para trás, pois são ricas em zinco, magnésio e potássio, essenciais para produção de glóbulos brancos, controlar a pressão, reduzir os sintomas da TPM e ainda ajudam no desenvolvimento dos músculos!

Os amendoins são ricos em proteínas, portanto quem segue uma dieta vegetariana não pode deixar de consumi-lo. Mas tenham cuidado, estes alimentos quando mal armazenados podem conter substancias cancerígenas.

As amêndoas são fonte natural de magnésio, mineral que ajuda o corpo a produzir energia e a manter os tecidos musculares, regula o açúcar no sangue e contribui para maior sensação de saciedade. Mas o que faz dela a preferida dos nutricionistas é sua a habilidade de bloquear calorias. Alguns estudos comprovam que a composição das células da casca ajudam a reduzir a absorção de gorduras.

Mas não se esqueça de que, mesmo sendo do bem, essas gorduras carregam muitas calorias! Por isso, o recomendado é comer as castanhas no lugar de outro alimento, não apenas adicioná-las à dieta.

Qualquer que seja a sua escolha, o melhor é consumir as oleaginosas cruas. Se não gostar, uma boa alternativa é torrá-las em casa, pois o calor do forno não é suficiente para tirar os benefícios dos nutrientes nelas contidos.

Fonte: abdomensarado.com

Partilhe no Facebook
This entry was posted in Saúde. Bookmark the permalink.

Comments are closed.